terça-feira, 7 de abril de 2015

OPOSIÇÃO PODERÁ GANHAR

 REFORÇO NA CÂMARA


O bloco de oposição na Câmara Municipal de Mossoró deverá ganhar novos membros. De acordo com informações repassadas à editoria de Política da GAZETA DO OESTE, pelo menos três parlamentares estão se preparando para deixar a base de sustentação política do governo do PSD.

“Não seria interessante antecipar as coisas até por se tratar de uma fase de conversações, mas três colegas nosso de parlamento estão muito insatisfeitos e acima de tudo, sentindo-se desprestigiados em relação à administração municipal”, revelou um edil oposicionista em conversa com a GAZETA DO OESTE ontem pela manhã. “É até engraçado porque nós estávamos isolados na Câmara, reduzidos numericamente em relação ao governismo e hoje, enquanto a base aliada do prefeito Francisco José Júnior encolhe, nós estamos sendo sempre procurados e se você, como jornalista, fizer uma pesquisa, vai ver que a oposição cresceu mais do que o governismo na atual administração municipal”, acrescentou a fonte.

A fonte lembrou a situação vivenciada no parlamento mossoroense, na semana passada, quando uma proposta de autoria da vereadora Izabel Montenegro e que não atendia aos “interesses” do Poder Executivo foi aprovada em plenário e com voto dos vereadores da base aliada.

“Quer sintoma de insatisfação maior do que esse?”, indagou o vereador oposicionista acrescentando: “houve uma mobilização para que a proposta da nossa amiga Izabel (Montenegro) fosse derrubada e o que aconteceu no plenário foi um ato de rebeldia e insatisfação com o governo”.

Hoje, a oposição ao governo Francisco José Júnior é formada pelos vereadores Francisco Carlos (PV), Lahyre Neto (PSB), Tomaz Neto (PDT), Genivan Vale (Pros), Vingt-un Rosado (PSB), Lucélio Guilherme (PTB) e a hipótese de ingresso de mais três vereadores para o bloco oposicionista, tornariam ainda mais difícil a tarefa da liderança da base aliada na Casa.

“A evolução das conversas com esses três colegas está melhor do que nós imaginávamos e, se a coisa transcorrer da forma como estamos prevendo, em breve, talvez antes do que se imagina, a oposição saltará de seis para nove vereadores e com isso, o que vai acontecer é um equilíbrio verdadeiro de forças no Palácio Rodolfo Fernandes e isso certamente, dificultará para o governo, pois se perde substancialmente a força”, observou a fonte.

A fonte chegou a levantar a possibilidade de um quarto vereador optar por migrar para o bloco de oposição. Sem pedir reservas a fonte citou o presidente da Casa, vereador Jório Nogueira (PSD). De acordo com a fonte, o presidente do parlamento, pelo menos nos bastidores, não esconde a insatisfação com o governo municipal. Em razão de estar ocupando a presidência do Poder Legislativo, explica a fonte, Nogueira tem evitado críticas mais contundentes ao chefe do Poder Executivo mossoroense.

A fonte afirma que, nos bastidores e principalmente entre amigos próximos, o vereador Jório Nogueira reconhece o momento de fragilidade enfrentada pela administração municipal. “Jório Nogueira é um que tem feito de tudo para se segurar e olhe que ele é conhecido por ser temperamental. Em conversas reservadas, ele se soma a nós da oposição, nas críticas ao governo municipal. Jório é inteligente e sabe que tem manter uma postura como presidente, mas dia desses nós estávamos conversando e ele fez duras críticas a Silveira (Francisco José Júnior). Quando ele saiu, nós ficamos nos perguntado quanto tempo mais ele vai aguentar”, revela.

Oposicionista critica nova viagem do 
prefeito de Mossoró à Capital Federal

A fonte oposicionista criticou a viagem do prefeito Francisco José Júnior a Brasília. “Na sexta-feira, a GAZETA DO OESTE mostrou em reportagem que a ausência de Silveira da cidade estava nos fortalecendo. Hoje, a notícia é que ele está em Brasília novamente. Estamos exagerando ao dizer que a cidade esta abandonada?”, criticou a fonte com assento no Poder Legislativo mossoroense, frisando que, de todas as viagens feitas pelo prefeito de Mossoró Francisco José Júnior, até o momento não houve resultados concretos em termos de ação e obras para a cidade.

“Primeiro é que não sabemos se essa viagem é pelo município ou pela Federação dos Municípios. Essa é a primeira questão. A segunda é que até o momento, de todas as viagens que ele fez, não se observou nada, absolutamente nada em termos de resultado concreto”, lamentou a fonte.

Um ponto levantado pela fonte oposicionista é que, nem mesmo os departamentos de comunicação vinculados ao Executivo se manifestaram a respeito da viagem. De acordo com a fonte, o procedimento correto seria a divulgação da agenda e os compromissos do prefeito em Brasília.

“É estranho que, pelo menos eu soube desta viagem hoje. Perguntei aos colegas, inclusive vereadores da base nem eles sabiam com certeza a respeito desta viagem. Isso tem sido comum na gestão, ou seja, as coisas acontecem e poucos tomam conhecimento”, assinalou o oposicionista.

Fonte: Gazeta do Oeste 

Nenhum comentário :