sexta-feira, 24 de junho de 2016

REINO UNIDO DECIDE 

ABANDONAR UNIÃO EUROPEIA


Em um referendo histórico com mobilização recorde do eleitorado, superior a 70%, o Reino Unido decidiu ontem deixar a União Europeia (UE). No início da madrugada, com a divulgação dos resultados ainda parciais, bolsas de valores da Ásia desabaram e a libra esterlina caía ao menor valor frente ao dólar desde 1985 como reação à vitória do “Brexit” – a saída britânica.

A exemplo da eleição geral britânica de 2015, as urnas contradisseram a maioria das pesquisas de intenção de voto. Levantamentos apontavam para a vitória do “permanecer” e dois importantes políticos que fizeram campanha contra a UE chegaram a dizer que já imaginavam a derrota pouco após fechamento das urnas. 

Nigel Farage, líder do Partido pela Independência do Reino Unido (Ukip) e uma importante voz em favor da saída, disse à Sky News após o encerramento da votação que o comparecimento foi extremamente alto e parecia que o "Remain" (permanência) venceria. A ministra Theresa Villiers, que fez campanha pela saída, disse à TV que o “instinto” lhe dizia que o "Leave" (saída) perderia.

Os comentários de Farage e as pesquisas de opinião levaram a libra esterlina a seu nível mais alto em seis meses – US$1,50. A moeda despencou em 10%, no entanto, depois que a apuração na cidade de Sunderland, no noroeste, mostrou um grande apoio à saída.
 

Após a confirmação da saída, a queda se acentuou e chegou a 12,64%. “Que o dia 23 de junho seja o nosso dia da independência”, declarou Farage quando a apuração mostrou a vitória do “Leave”.

Ao longo do dia de votação, a expectativa de vitória do campo pró-Europa também gerou otimismo no mercado financeiro. As principais bolsas europeias fecharam em alta: Londres com 1,23%, Frankfurt com 1,85% e Paris com 1,96%. Mas durante a madrugada a tendência se inverteu e a abertura dos mercados financeiros asiáticos passou a refletir o pessimismo com o avanço da apuração e, posteriormente, a confirmação da decisão pelo “sair”.

Derrota política. Após ser derrotado no plebiscito, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, anunciou que irá deixar o cargo. Cameron afirmou que poderá permanecer no posto pelos próximos três meses e deixar, deixando a cadeira em outubro, quando acontece a conferência anual de seu partido.

"Eu irei fazer tudo que puder como primeiro-ministro para firmar o navio durante as próximas semanas e meses, mas eu não acho que seria certo para mim tentar ser o capitão que orienta nosso país para seu próximo destino", disse em pronunciamento, acrescentando que irá participar da cúpula da União Europeia na próxima semana para explicar sua decisão.

Pouco após o fechamento das urnas, em post no Twitter, Cameron, que era o líder da campanha pró-UE agradeceu o apoio da opinião pública. “Obrigado a todos que votaram para manter o Reino Unido mais forte, mais seguro e melhor na Europa”, disse o premiê.

A realização do referendo foi uma das principais bandeiras de Cameron para pacificar grupos de seu partido insatisfeitos com a UE. O premiê esperava obter uma vitória tranquila pela permanência, mas acabou colhendo um resultado que pode custar sua carreira política.
 

Analistas afirmaram que o sentimento anti-UE foi inesperadamente forte nas cidades inglesas do norte, duramente afetadas pelo declínio das indústrias e perda de empregos.

Bloco. A votação no referendo provocou um dia de tensão máxima nas principais capitais do continente. Ao longo da jornada, líderes como o presidente da França, François Hollande, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afastaram qualquer possibilidade de que pudesse haver outra opção em caso de vitória do Brexit a não ser a saída “irreversível” do Reino Unido do bloco. “Quando é não, é não. Não há estatuto intermediário”, afirmou Hollande. 

Fonte: Isto É Dinheiro
Conteúdo Estadão 
 

APROVADO PROJETO AUTORIZANDO

 R$ 1 MILHÃO PARA REFORMA

 DA ACEU DA AUERN


O projeto de restauração e reforma do prédio da Associação Cultural e Esportiva Universitária (ACEU), pertencente à Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), foi aprovado pela Comissão Estadual de Cultura. Com isso, a Uern fica autorizada a captar R$ 1 milhão em recursos, por meio da Lei Câmara Cascudo, de incentivo à Cultura, para o resgate da Associação.

A autorização foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) e a partir de agora a instituição irá procurar patrocínio.

“Essa é a primeira vez que o projeto da ACEU será beneficiado pela Lei Câmara Cascudo. O projeto recebeu o certificado de enquadramento e sendo assim, estamos aptos a captar recursos junto aos contribuintes do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICSMS), dentro da Lei Câmara Cascudo”, afirma o Pró-Reitor de Extensão, professor Etevaldo Almeida.

O reitor Pedro Fernandes considera essa mais uma importante etapa para a revitalização da ACEU e lembra que o projeto ganha essa dimensão a partir da conquista da titularidade do imóvel que antes pertencia ao Clube Ipiranga. A proposta é ofertar um espaço universitário aberto ao público para participação em cursos, oficinas, encontros e outros eventos.

“Trabalhamos desde o começo da nossa gestão pelo processo de dissolução do Clube para comprovarmos a titularidade e buscarmos recursos para recuperar a ACEU. A UERN também está buscando incluir a ACEU no programa RN Sustentável, que é financiado pelo Banco Mundial”, disse Pedro Fernandes.

FESTUERN

Outro grande incentivo cultural do Governo do Estado para a Uern, através da Comissão Estadual de Cultura, presidida pela professora Isaura Amélia Rosado, foi a inclusão do Festival de Teatro da Universidade (Festuern), na Lei Câmara Cascudo.

Tendo como responsável a Fundação para o Desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio Grande do Norte, a Uern poderá se habilitar a patrocínios de mais de R$ 212 mil, na lei de incentivo à cultura. O Festuern será realizado em outubro e a 12ª edição do Festival tem como tema “O teatro do bem viver: saúde, arte e educação”.

Nesta edição do Festuern, serão homenageados cidadãos e profissionais nas áreas de saúde e arte-educação que venham desenvolvendo iniciativas significativas para o combate das epidemias provocadas pelo mosquito Aedes aegypti e os cuidados com o ambiente. Participarão 30 escolas da rede pública (Estaduais e municipais).

A comissão pedagógica inicia na próxima semana visita às escolas para mobilizar os grupos que irão participar do Festuern.

Fonte: O Mossoroense Online
Por Ana Paula Cardoso 
 

Indicadores e Índices Econômicos - 24/06/2016

Fonte: Empresário Online

CÂMBIO E OURO

I-Dólar:
Comercial
DIA Compra Venda
16/06
17/06
20/06

R$ 3,468
R$ 3,419
R$ 3,398

R$ 3,470
R$ 3,420
R$ 3,399

Fonte: UOL
II-Euro:

DIA Compra Venda
16/06
17/06
20/06

R$ 3,897
R$ 3,855
R$ 3,841

R$ 3,898
R$ 3,860
R$ 3,845

Fonte: UOL
III-Ouro:

DIA Compra
16/06
17/06
20/06

R$ 145,70
R$ 141,15
R$ 139,50

Fonte: BOVESPA
 
 
 REAJUSTE DE ALUGUEL E OUTROS CONTRATOS:

ÍNDICES ACUMULADO % ATÉ JUNHO/ 16
FIPE
IGP-DI
IPC-FIPE
IPCA (IBGE)
INPC (IBGE)
ICV-DIEESE
1,1109
1,1126
1,0998
1,0932
1,0982
1,0944
Fonte: O Estado de S. Paulo
Fatores válidos para contratos cujo último reajuste ocorreu há um ano.
Multiplique o valor pelo fator.



 POUPANÇA/DIA –JUNHO

Período
Poupança (1)
Poupança (2)
28/05 a 28/06
29/05 a 29/06
30/05 a 30/06
31/05 a 01/07
01/06 a 01/07
02/06 a 02/07
03/06 a 03/07
04/06 a 04/07
05/06 a 05/07
06/06 a 06/07
07/06 a 07/07
08/06 a 08/07
09/06 a 09/07
10/06 a 10/07
11/06 a 11/07
12/06 a 12/07
13/06 a 13/07
14/06 a 14/07
15/06 a 15/07
16/06 a 16/07
0,6547%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,6963%
0,6642%
0,6272%
0,6562%
0,7269%
0,7270%
0,7188%
0,7121%
0,6694%
0,6635%
0,6923%
0,7132%
0,6945%
0,6834%
0,7217%
0,6547%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,6963%
0,6642%
0,6272%
0,6562%
0,7269%
0,7270%
0,7188%
0,7121%
0,6694%
0,6635%
0,6923%
0,7132%
0,6945%
0,6834%
0,7217%
(1) Depósitos até 03/05/12
(2) Depósitos a partir de 04/05/12 - MP nº 567, de 03/05/12
Rendimento da Caderneta de Poupança no último dia do período.
Fonte: Valor Econômico
 
 
 INDICADORES/MÊS


mar/16 abr/16 mai/16 juni/16 Ano 12 meses
Poupança antiga (1)
Poupança (2)
TR*
TJLP
FGTS (3)
SELIC - Déb Fed (4)
UPC ***
Salário Mínimo
Salário Mínimo SP (5)
UFIR (6)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(R$)
(R$)
(R$)

0,7169
0,7169
0,2168
0,62
0,4640
1,16
22,95
880,00
905,00
---

0,7179
0,7179
0,2168
0,60
0,3773
1,06
23,05
880,00
905,00
---
0,6541%
0,6541%
0,1533
0,62
0,4003
1,11
23,05
880,00
1.000,00
---
0,7053%
0,7053%
0,2043
0,60
0,4514
1,16
23,05
880,00
1.000,00
---
4,0
4,0
0,94
3,72
2,44
6,73
0,96
11,68
---
---
8,39
8,39
2,10
7,25
5,16
14,11
1,99
11,68
---
---
* TR – Taxa Referencial; ** Débitos Federais; *** Unidade Padrão de Capital; (1) Rendimento no 1º dia do mês seguinte, para depósitos até 03/05/12; (2) Rendimento no primeiro dia do mês seguinte para depósitos a partir de 04/05/2012 – MP nº 567, de 03/05/2012. (3) Crédito no dia 10 do mês seguinte (TR + juros de 3 % ao ano). (4) Juro pela Taxa Selic para pagamentos de débitos federais em atraso – no mês do pagamento, a taxa é de 1%; (5) São duas faixas salariais mínimas, com vigência a partir deste mês: R$ 905 (para domésticos, agropecuários, ascensoristas, motoboys) e R$ 920 (para operadores de máquinas, carteiros, cabeleireiros, trabalhadores de turismo, telemarketing); (6) Extinta pela Medida Provisória nº 1973/67, de 27/10/00 – último valor: R$ 1,0641; BTN + TR cheia – suprimido por ser título extinto pela Lei nº 8.177, de 01/03/1991, embora ainda existam alguns em circulação.
Fonte: Folha Online, Valor Econômico 
 
 
 INFLAÇÃO - FONTES DIVERSAS - REFERÊNCIA ATUALIZADA
JUNHO/ 2016

ÍNDICES
set/15 out/15 nov/15 dez/15 jan/16
INPC / IBGE (%)
IPCA / IBGE (%)
IPCA Esp / IBGE (%)
ICV / DIEESE (%)
IPC / FIPE (%)
ClasMéd/Ordem (%)
IGP-DI / FGV (%)
IPA -DI / FGV (%)
IPC-DI / FGV (%)
INCC-DI / FGV (%)
IGP-M / FGV (%)
IPA-M / FGV (%)
IPC-M / FGV (%)
INCC-M / FGV (%)
CUB-Sinduscon (%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
0,51
0,54
0,39
0,48
0,66
0,85
1,42
2,02
0,42
0,22
0,95
1,30
0,32
0,22
0,19
0,77
0,82
0,66
0,78
0,88
0,99
1,76
2,38
0,76
0,36
1,89
2,63
0,64
0,27
-0,02
1,11
1,01
0,85
1,02
1,06
0,92
1,19
1,41
1,00
0,34
1,52
1,93
0,90
0,40
0,02
0,90
0,96
1,18
0,77
0,82
0,66
0,44
0,33
0,88
0,10
0,49
0,39
0,92
0,12
0,18
1,51
1,27
0,92
1,80
1,37
1,50
1,53
1,63
1,78
0,39
1,14
1,14
1,48
0,32
0,44


fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 12meses
INPC / IBGE (%)
IPCA / IBGE (%)
IPCA Esp / IBGE (%)
ICV / DIEESE (%)
IPC / FIPE (%)
ClasMéd/Ordem (%)
IGP-DI / FGV (%)
IPA -DI / FGV (%)
IPC-DI / FGV (%)
INCC-DI / FGV (%)
IGP-M / FGV (%)
IPA-M / FGV (%)
IPC-M / FGV (%)
INCC-M / FGV (%)
CUB-Sinduscon (%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
0,95
0,90
1,42
0,71
0,89
0,92
0,79
0,84
0,76
0,54
1,29
1,45
1,19
0,52
0,05
0,44
0,43
0,43
0,44
0,97
0,64
0,43
0,37
0,50
0,64
0,51
0,44
0,58
0,79
0,01
0,64
0,61
0,51
0,57
0,46
0,41
0,36
0,29
0,49
0,55
0,33
0,29
0,39
0,41
0,12
0,98
0,78
0,86
0,67
0,57
0,30
1,13
1,49
0,64
0,08
0,82
0,98
0,65
0,19
0,03
9,82
9,32
9,62
9,44
9,98
9,72
11,26
12,92
9,15
6,36
11,09
12,54
9,09
6,77
2,42
Fonte: Folha Online, Valor Econômico, Ordem dos Economistas
 
 

quinta-feira, 23 de junho de 2016


ALTAMIRO BORGES: CADÊ A 

VALENTIA DA OAB GOLPISTA!


Numa cena abjeta, que entrará para a história dos traidores da democracia, ele protocolou um "parecer" favorável ao afastamento da governante eleita pela maioria dos brasileiros. Houve até confronto nos corredores do Congresso Nacional e a lambança gerou protestos de inúmeros advogados e juristas. Agora, porém, a "valente" OAB está em silêncio diante das denúncias de corrupção contra o "ministério de notáveis" do Judas Michel Temer.

Em curto espaço de tempo, três ministros já foram defecados - Romero Jucá (Planejamento), Fabiano Silveira (Transparência) e Henrique Eduardo Alves (Turismo) - e vários outros estão na linha de tiro. Neste mesmo período, o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, demonstrou em sua "delação premiada" que a cúpula do PMDB tramou o impeachment para "estancar a sangria" das investigações da Operação Lava-Jato, conforme a bombástica gravação da conversa com Romero Jucá, o "homem-forte" de Michel Temer. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a pedir a prisão dos golpistas por "tentativa de obstrução" das apurações. Já a "valente" OAB permaneceu em silêncio!

Também neste período recente cresceu a pressão pela cassação e prisão do correntista suíço Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara Federal e maior artífice do "golpe dos corruptos". Ele foi afastado do cargo e do mandato pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e teve a sua cassação referendada, após várias manobras, pela Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. A Justiça também determinou o bloqueio dos seus bens e apreendeu o seu passaporte e o da esposa, Cláudia Cruz, ex-jornalista da TV Globo. Apesar do quase consenso contra o achacador, a "valente" OAB também evitou os holofotes da mídia para criticar o ex-aliado no criminoso processo de impeachment de Dilma.

Até agora, o máximo que a entidade - que jogou sua história de luta pela democracia no lixo - fez foi divulgar uma nota de "crítica" aos ministros interinos mencionados na Lava-Jato. Bastante tímida, ela afirma que a entidade "poderá" ir à Justiça caso algum citado vire réu, mas faz questão de realçar que "a OAB torce pelo sucesso do Brasil". Não há qualquer crítica ao "ministério de notáveis" - corruptos - de Michel Temer. Contra Dilma, em que não havia qualquer acusação de crime de responsabilidade, a entidade fez o maior escarcéu, num típico oportunismo midiático. Agora, a "valentia" da Ordem dos Advogados do Brasil foi para o ralo - junto com a sua história. Uma lástima!

A lista dos "notáveis ministros" do Judas Temer

Em tempo: Para ajudar a OAB a recuperar a sua imagem manchada e aviltada, publicamos abaixo a relação dos ministros de Michel Temer já citados em investigações na Justiça. A lista foi elaborada pela insuspeita Folha golpista:

1- Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) - Secretaria de Governo - citado na Lava Jato e em outras investigações

Aparece citado em mensagens de Léo Pinheiro, dono da OAS. Geddel diz que as conversas não mostram irregularidades

2- José Serra (PSDB-SP) - Relações Exteriores - citado na Lava Jato e em outras investigações

Foi listado em planilha de pagamentos da Odebrecht e é alvo de ação que questiona ajuda financeira a bancos pela gestão FHC. Não se manifestou

Aparece em planilhas da Odebrecht de supostos financiamentos a políticos

3- Henrique Alves (PMDB-RN) - Turismo - citado na Lava Jato e em outras investigações

É alvo de dois pedidos de inquérito na Lava Jato. Segundo a Procuradoria, atuou para receber verba desviada da Petrobras em troca de favores para OAS. Ele diz que todas as doações foram legais

4- Osmar Terra (PMDB-RS) - Desenvolvimento Social e Agrário - citado na Lava Jato e em outras investigações

Aparece em planilhas da Odebrecht de supostos financiamentos a políticos

5- Raul Jungmann (PPS-PE) - Defesa - citado na Lava Jato e em outras investigações

Aparece em planilhas da Odebrecht de supostos financiamentos a políticos

6- Bruno Araújo (PSDB-PE) - Cidades - citado na Lava Jato

Foi listado em planilha de pagamentos da Odebrecht, mas nega irregularidades

7- Mendonça Filho (DEM-PE) - Educação - citado na Lava Jato

Foi listado em planilha de pagamentos da Odebrecht, mas nega irregularidades

8- Ricardo Barros (PP-PR) - Saúde - citado na Lava Jato

Aparece em planilhas da Odebrecht de supostos financiamentos a políticos

9- Blairo Maggi (PP-MT) - Agricultura, Pecuária e Abastecimento - citado em outras investigações

Foi citado suposto esquema de lavagem de dinheiro investigado pela Polícia Federal em Mato Grosso

10- Dyogo Oliveira - Planejamento, Desenvolv. e Gestão - citado em outras investigações (Zelotes)

Investigado por suposto esquema de vendas de medidas próvisórias e fraude fiscal

11- Eliseu Padilha (PMDB-RS) - Casa Civil - citado em outras investigações

Aparece em mensagens de Léo Pinheiro, dono da OAS. Ele nega irregularidades

12- Helder Barbalho (PMDB-PA) - Integração Nacional - citado em outras investigações

Foi alvo de ação de improbidade administrativa na Justiça Federal do Pará

13- Gilberto Kassab (PSD-SP) - Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - citado em outras investigações

É alvo de duas ações por improbidade e de duas ações penais por fraude em licitação e ocultação de bens. Diz que sua atuação foi regular

14- Leonardo Picciani (PMDB-RJ) - Esporte - citado em outras investigações

É alvo de uma representação por irregularidades na campanha de 2014. Diz que ação foi indeferida

15- Ronaldo Nogueira de Oliveira (PTB-RS) - Trabalho - citado em outras investigações

Eleito deputado, teve reprovadas as contas referentes à campanha de 2014. Recorreu, e perdeu.

 
Fonte: Portal Vermelho
Por Altamiro Borges*

*Altamiro Borges é jornalista, blogueiro, presidente nacional do Centro de Estudos Barão de Itararé e secretário de Mídia do PCdoB.
 
ÍNDICES ECONÔMICOS E FINANCEIROS
Mês: 06/2016

Índice Período Valor
BTN+TR 06/2016 1,6873

Índices Econômicos e Financeiros
Mês: 05/2016
Índice Período Valor
BTN+TR 05/2016 1,6839
IGP-M FGV 05/2016 0,82
INCC-DI 05/2016 0,08
INCC-M 05/2016 0,1900
SELIC 05/2016 1,11
Índices Econômicos e Financeiros
Mês: 04/2016
Índice Período Valor
BTN+TR 04/2016 1,6813
CUB-SINDUSCON/SP 04/2016 0,13
ICV-DIEESE 04/2016 0,57
IGP-FGV 04/2016 0,36
IGP-M FGV 04/2016 0,33
INCC-DI 04/2016 0,55
INCC-M 04/2016 0,4100
INPC-IBGE 04/2016 0,64
IPC-FGV 04/2016 0,49
IPC-FIPE 04/2016 0,46
IPCA-IBGE 04/2016 0,61
SELIC 04/2016 1,06

quarta-feira, 22 de junho de 2016


  PREÇO DO FEIJÃO DISPARA 54% NO

 ANO E VIRA MOTIVO DE PIADA


O preço do feijão disparou nos últimos meses, pesando no bolso do brasileiro e "ameaçando" o sucesso do tradicional prato feito. O principal motivo é o clima, que prejudicou a produção.

O feijão carioca, por exemplo, ficou 54,1% mais caro de janeiro até meados de junho, segundo a prévia da inflação, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira (21).

Não é só o carioquinha que subiu neste ano: também ficaram mais caras outras variedades, como o mulatinho (+49,42%), o preto (+21,36%) e o fradinho (+19,49%).

Alguns internautas reagiram com bom humor à escalada dos preços, postando piadas e memes nas redes sociais.

Fonte: UOL Economia 

Indicadores e Índices Econômicos - 22/06/2016

Fonte: Empresário Online

CÂMBIO E OURO

I-Dólar:
Comercial
DIA Compra Venda
16/06
17/06
20/06

R$ 3,468
R$ 3,419
R$ 3,398

R$ 3,470
R$ 3,420
R$ 3,399

Fonte: UOL
II-Euro:

DIA Compra Venda
16/06
17/06
20/06

R$ 3,897
R$ 3,855
R$ 3,841

R$ 3,898
R$ 3,860
R$ 3,845

Fonte: UOL
III-Ouro:

DIA Compra
16/06
17/06
20/06

R$ 145,70
R$ 141,15
R$ 139,50

Fonte: BOVESPA
 
 
 REAJUSTE DE ALUGUEL E OUTROS CONTRATOS:

ÍNDICES ACUMULADO % ATÉ JUNHO/ 16
FIPE
IGP-DI
IPC-FIPE
IPCA (IBGE)
INPC (IBGE)
ICV-DIEESE
1,1109
1,1126
1,0998
1,0932
1,0982
1,0944
Fonte: O Estado de S. Paulo
Fatores válidos para contratos cujo último reajuste ocorreu há um ano.
Multiplique o valor pelo fator.



 POUPANÇA/DIA –JUNHO

Período
Poupança (1)
Poupança (2)
28/05 a 28/06
29/05 a 29/06
30/05 a 30/06
31/05 a 01/07
01/06 a 01/07
02/06 a 02/07
03/06 a 03/07
04/06 a 04/07
05/06 a 05/07
06/06 a 06/07
07/06 a 07/07
08/06 a 08/07
09/06 a 09/07
10/06 a 10/07
11/06 a 11/07
12/06 a 12/07
13/06 a 13/07
14/06 a 14/07
15/06 a 15/07
16/06 a 16/07
0,6547%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,6963%
0,6642%
0,6272%
0,6562%
0,7269%
0,7270%
0,7188%
0,7121%
0,6694%
0,6635%
0,6923%
0,7132%
0,6945%
0,6834%
0,7217%
0,6547%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,7053%
0,6963%
0,6642%
0,6272%
0,6562%
0,7269%
0,7270%
0,7188%
0,7121%
0,6694%
0,6635%
0,6923%
0,7132%
0,6945%
0,6834%
0,7217%
(1) Depósitos até 03/05/12
(2) Depósitos a partir de 04/05/12 - MP nº 567, de 03/05/12
Rendimento da Caderneta de Poupança no último dia do período.
Fonte: Valor Econômico
 
 
 INDICADORES/MÊS


mar/16 abr/16 mai/16 juni/16 Ano 12 meses
Poupança antiga (1)
Poupança (2)
TR*
TJLP
FGTS (3)
SELIC - Déb Fed (4)
UPC ***
Salário Mínimo
Salário Mínimo SP (5)
UFIR (6)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(R$)
(R$)
(R$)

0,7169
0,7169
0,2168
0,62
0,4640
1,16
22,95
880,00
905,00
---

0,7179
0,7179
0,2168
0,60
0,3773
1,06
23,05
880,00
905,00
---
0,6541%
0,6541%
0,1533
0,62
0,4003
1,11
23,05
880,00
1.000,00
---
0,7053%
0,7053%
0,2043
0,60
0,4514
1,16
23,05
880,00
1.000,00
---
4,0
4,0
0,94
3,72
2,44
6,73
0,96
11,68
---
---
8,39
8,39
2,10
7,25
5,16
14,11
1,99
11,68
---
---
* TR – Taxa Referencial; ** Débitos Federais; *** Unidade Padrão de Capital; (1) Rendimento no 1º dia do mês seguinte, para depósitos até 03/05/12; (2) Rendimento no primeiro dia do mês seguinte para depósitos a partir de 04/05/2012 – MP nº 567, de 03/05/2012. (3) Crédito no dia 10 do mês seguinte (TR + juros de 3 % ao ano). (4) Juro pela Taxa Selic para pagamentos de débitos federais em atraso – no mês do pagamento, a taxa é de 1%; (5) São duas faixas salariais mínimas, com vigência a partir deste mês: R$ 905 (para domésticos, agropecuários, ascensoristas, motoboys) e R$ 920 (para operadores de máquinas, carteiros, cabeleireiros, trabalhadores de turismo, telemarketing); (6) Extinta pela Medida Provisória nº 1973/67, de 27/10/00 – último valor: R$ 1,0641; BTN + TR cheia – suprimido por ser título extinto pela Lei nº 8.177, de 01/03/1991, embora ainda existam alguns em circulação.
Fonte: Folha Online, Valor Econômico
 
 


terça-feira, 21 de junho de 2016

POTIGUAR PERDE PARA O UNICLINIC

Fazendo dois tempos distintos, quando dominou os 45 minutos iniciais e cedeu espaço na etapa complementar, o Potiguar sofreu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro da Série D. Na noite desta segunda-feira, 20, o alvirrubro jogou em Fortaleza e perdeu, 1 a 0, para o Uniclinic.

As melhores oportunidades de gol foram criadas pelo Potiguar no primeiro tempo, mas seus jogadores não conseguiram abrir o placar. No minuto final da etapa inicial, nos acrescimentos, o jogador do Uniclinic tocou com a mão na bola dentro da área, mas o árbitro piauiense Antônio Santos Nunes  preferiu apitar o final do jogo.

No retorno para o segundo tempo o Uniclinic voltou melhor e, transformou essa situação em gol. Aos 34 minutos o jogador Tico, que havia entrado no intervalo, aproveitou e superou o goleiro Santos, 1 a 0, dando números finais ao placar da partida. Com esse resultado o Uniclinic assumiu a liderança do Grupo A8, somando 06 pontos, vindo em segundo o Itabaiana, 03 pontos, porém com melhor saldo de gols, já que empata em pontos com o Potiguar que também soma 03. Sem nenhum ponto somado, dois jogos e duas derrotas, o Serra Talhada é o último colocado.

Fonte: O Mossoroense Online 
  Por Sergio Oliveira