domingo, 31 de maio de 2015


O CULPADO


Basta uma leitura de qualquer livro sobre história do Rio Grande do Norte para perceber que estamos em crise permanente e que acumulamos um passivo enorme de derrota de pleitos quando a nossa classe política tenta algo no poder central.

Como a regra é prometer o que não se pode cumprir na campanha e após a vitória ficar sem meios de fazer algo porque o Estado está falido resta culpar o antecessor.
 
O resultado disso é um estado permanente de olhar pelo retrovisor. Assim Robinson Faria culpa Rosalba que culpava Wilma de Faria que culpou Garibaldi que culpou José Agripino que culpou Geraldo Melo que culpou José Agripino que não culpou Lavoisier Maia nem Tarcísio Maia porque os dois governadores biônicos (nomeados pela ditadura militar nos anos 1970) eram respectivamente primo e pai do hoje "coveiro do DEM".
 
Como é difícil governar olhando para frente, basta culpar o passado. Talvez resida aí os problemas do Rio Grande do Norte. Falta um gestor criativo e capaz de romper com um histórico de mediocridade.
 
Nunca um governador potiguar teve a chance que se encontra ainda nas mãos de Robinson Faria. O atual governador potiguar foi eleito praticamente sozinho. Não teve o apoio das oligarquias que se revezam no poder desde a segunda metade do século XX. Tem a oportunidade de mudar as estruturas do Estado e para isso montou uma equipe técnica.
 
Mas até aqui nada mudou. Não há avanços nem obras. O Rio Grande do Norte está prestes a trocar novamente o "Grande" pelo "Greve" porque o sempre aberto ao diálogo governador não vai atender as demandas salariais que crescem acima da arrecadação de um Estado que ano a ano vai recuando no desenvolvimento econômico.
 
Se é um problema crônico então resta culpar quem? João de Barros, intelectual português, donatário da Capitania do Rio Grande que nunca veio tomar posse da terra? Complicado. Afinal, quando ele abriu mão do hoje Rio Grande (ou "Greve?") do Norte essa terra ficou quase 100 anos abandonada e somente depois ficou subordinado a Pernambuco.
 
Somente em 1697 a Capitania do Rio Grande passou a ter alguma autonomia quando Bernardo Vieira de Melo (que dá nome à famosa avenida da capital) se tornou o primeiro governador do Rio Grande do Norte. Como os governadores de hoje ele ficou quatro anos no cargo. A grande "realização" dele: utilizar as lições aprendidas com Domingos Jorge Velho que trucidou o Quilombo de Palmares para exterminar os índios Janduís que vivia no sertão potiguar.
 
Talvez aí tenha a origem de todos os nossos problemas: o primeiro governador do Rio Grande do Norte deixou de administrar a Capitania (que depois foi província e por fim Estado) para fazer o mal. Se tivesse procurado desenvolver a região não viveríamos no sofrido elefante.
 
Pronto. Achei o culpado.

Por Bruno Barreto
O Mossoroense 


 NOVO DÍGITO EM NÚMEROS DE

CELULAR CHEGA AO RN


Cumprindo decisão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), todos os telefones celulares do Rio Grande do Norte ganharão um nono dígito a partir de hoje. Outros cinco estados da região Nordeste também recebem hoje (31) o nono dígito à esquerda de seus números de telefones celulares. A alteração vai acontecer em Alagoas ( DDD 82), Paraíba (DDD 83), Ceará (DDD 85 e 88) e Piauí (DDD 86 e 89).
 
Apesar de divulgada desde o final do ano, a decisão que aumenta o número de dígitos nos telefones celulares ainda gera polêmica. Muitos mossoroenses não estão sabendo da mudança, outros, por sua vez, afirmam que as alterações promoverão confusão e dores de cabeça para usuários de telefonia móvel.
 
A secretária Mikarla Souza comenta que a medida é muito ruim, já que as pessoas estão adaptadas aos tradicionais nove dígitos. Segundo ela, agora a tarefa será organizar os contatos na agenda, a fim de evitar mais dores de cabeça nos próximos dias.
 
"O jeito vai ser decorar mais um número, já é difícil com oito dígitos, imagine com nove. Acredito que a única maneira de evitar que as pessoas se sintam prejudicadas com a decisão é divulgando bastante informação sobre o tema. É preciso saber também até quando seremos avisados pelas operadoras de que o nono dígito já entrou em vigor", comentou a secretária.
 
De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), depois da implementação da mudança, existirá um pequeno período onde as ligações feitas sem o novo número são completadas, mas após o prazo, determinado, as ligações não serão mais aceitas.
 
A estudante do curso de Comunicação Social, Edja Lemos, ainda nem estava sabendo das mudanças, e foi pega de surpresa com a nova numeração. De acordo com ela, a alteração causará bastante perda de tempo para os usuários, que agora terão que atualizar suas listas de contato.
 
"Acredito que vai dar muito trabalho e dor de cabeça ter que alterar toda a agenda para colocar um número na frente, sem falar, é claro, da perda de tempo, principalmente para quem trabalha utilizando o celular. Não gostei da mudança, mas, infelizmente, terei que me adaptar" comentou.
 
De acordo com dados levantados pela Anatel, o Rio Grande do Norte tem mais de 4 milhões de chips de celular ativos, 30% a mais que o número de pessoas.

Aplicativos ajudam usuários com nono dígito

As alterações na quantidade de dígitos de celulares no Brasil, que se tornaram mais constantes nos últimos anos, sempre são criticadas pelos usuários de telefonia móvel, pelos inconvenientes que causa. Pensando nisso, empresas de tecnologia já começam a criar aplicativos que facilitam nesta mudança.
 
O Vivo 9º dígito é um aplicativo da operadora Vivo que permite o acréscimo automático do nono dígito, e pode ser baixado na App Store ou Play Store. O aplicativo Oi 9º dígito, que pertence a Oi também permite adotá-lo como padrão para ligações de longa distância, inserindo o código 31 antes de cada número.
 
O aplicativo android " Troca Número" permite prever quais contatos serão afetados pela inclusão do nono dígito. Caso se arrependa das mudanças, o usuário poderá reverter. Para Windows Phone é disponibilizado o aplicativo BR9, onde basta que o usuário clique no botão + 9 para que ele atualize automaticamente os números que tenham o DDD das cidades em que o nono dígito será necessário. O aplicativo só aplica o nono dígito em números com DDD.

Aplicativos para facilitar a adição do
 nono dígito em sua agenda

Oi 9º Dígito (Android e iPhone)
Vivo 9º Dígito (Android e iPhone)
Novo número Brasil (Android)
9 d+ (Android)
Troca número (Android)
BR9 (Windows Phone)
9 Dígitos (iPhone )


sexta-feira, 29 de maio de 2015


Fonte: Fiscosoft
ÍNDICES ECONÔMICOS E FINANCEIROS
Mês: 05/2015

Índice Período Valor
BTN+TR 05/2015 1,5922

Índices Econômicos e Financeiros
Mês: 04/2015
Índice Período Valor
BTN+TR 04/2015 1,5905
CUB-SINDUSCON/SP 04/2015 0,34
ICV-DIEESE 04/2015 0,55
IGP-FGV 04/2015 0,92
IGP-M FGV 04/2015 1,17
INCC-DI 04/2015 0,46
INCC-M 04/2015 0,6500
INPC-IBGE 04/2015 0,71
IPC-FGV 04/2015 0,61
IPC-FIPE 04/2015 1,10
IPCA-IBGE 04/2015 0,71
SELIC 04/2015 0,95
Índices Econômicos e Financeiros
Mês: 03/2015
Índice Período Valor
BTN+TR 03/2015 1,5884
CUB-SINDUSCON/SP 03/2015 0,06
ICV-DIEESE 03/2015 1,26
IGP-FGV 03/2015 1,21
IGP-M FGV 03/2015 0,98
INCC-DI 03/2015 0,62
INCC-M 03/2015 0,3600
INPC-IBGE 03/2015 1,51
IPC-FGV 03/2015 1,41
IPC-FIPE 03/2015 0,70
IPCA-IBGE 03/2015 1,32
SELIC 03/2015 1,04


BRASIL X TERRA DO NUNCA 


 "Um país feito para dar errado"

Peter Pan não queria crescer, na verdade o eterno menino tinha um tremendo medo de enfrentar a realidade da vida. Preferia ficar ao lado dos seus amigos imaginários e enfrentar os inimigos igualmente imaginários. O Brasil sofre da mesma síndrome não quer crescer, não quer enfrentar a realidade, seus governantes só enfrentam os inimigos imaginários ao invés de se preocuparem com os verdadeiros inimigos que estão aos seus pés posando de amigos (com certeza também imaginários). Parece que erraram na fórmula e erraram feio! Nada funciona como devia funcionar! Os Órgãos Públicos, com raríssimas exceções, são lentos demais! Informam errado! (isso quando informam algo) Parece que foram feitos para atazanar a vida do cidadão! Olho em volta e vejo um festival de besteiras e idiotices assolando o País! Até aquele que resolve "pagar para não se aborrecer" é mal atendido.

Esta semana que já está perto do fim (hoje é quinta-feira 28/05/15) foi uma piada para mim e para algumas pessoas do meu relacionamento ou próximas, de tudo aconteceu um pouco. Ainda no domingo recebi a informação de que a avó de uma amiga dos meus enteados estava no Hospital do Andaraí internada a mais de uma semana com o fêmur quebrado em função de uma queda a espera de um funcionário da empresa que fornece a prótese necessária para a cirurgia dar passada no hospital para "dar o OK" para que a cirurgia seja efetuada. "Que desculpa mais esfarrapada" Vê se alguém diz quem é o cara ou aonde está! Se necessário eu me ofereço para pegar o @5#&**! e levar para resolver essa parada. Uma pessoa que está cuidando de um inventário me contou que o Cartório que vai conduzir a partilha amigável entre dois irmão exigiu que um "Contador" fizesse uma declaração que a empresa quase paralisada do falecido tinha X cotas e valor de tantos Reais e que totalizava o seu capital em tantos Reais, ao que perguntei: "Mas isso não está escrito no Contrato Social?" Liguei para o tal Cartório e argumentei que o contrato tinha uma alteração recente, de Fev. deste ano, e que estava "consolidado" e ali estava a informação limpa e cristalina! "Não serve, o Juiz pode colocar em exigência" Essa foi a resposta, fico imaginando o que o pessoal dos Cartórios devem pensar dos Juízes. Devem achar que são uns ignorantes. Será isso mesmo?

Na segunda, recebi uma visita de um Oficial de Justiça com uma Intimação Judicial determinando a penhora de bens suficientes que dessem cobertura a uma dívida de IPTU de imóvel em região praiana, uma fortuna de aproximadamente R$ 110,00, cuja atualização somados a multa e juros alcançavam R$ 220,00. Se eu paguei ou não, naquele momento, eu não lembrava pois era de 2009. Sabe de uma coisa: "Não vou me aborrecer, vou pagar" Como eu faço para liquidar isso? perguntei ao representante da Justiça. Muito atencioso e simpático me orientou a telefonar ao Cartório da tal Vara, cujo o número constava na intimação. Assim o fiz, ou pelo menos tentei, o tal número sempre estava ocupado. 

"Desisto, vou até lá!" Lá fui eu na Erasmo Braga 115, constava o endereço na Intimação, mas lá era só a "SAÌDA" , entrada só pela Av. Pres. Antônio Carlos (nunca aprendi nada na escola sobre esse personagem). Tira chave, tira relógio, tira o cinto, tira o celular, tira as moedas do bolso etc. e tal, só para passar pela porta de identificação magnética, me senti embarcando em uma aeronave americana rumo a Israel com um passaporte palestino. Finalmente entrei e cheguei ao 6º andar e cadê que eu achava a Sala 610 ? Andei para lá, chequei na "Lamina 02" voltei e procurei na "Lamina 01" e nada! Balcão de informações? Vazio! Passei então a observar o que estava escrito nas placas,,, Achei a 12ª Vara Cívil entrei e perguntei se alguém sabia onde ficava a sala 610 ? "Neste andar não tem sala 610" Foi a resposta. "Aqui é a 12ª Vara Civil?" Perguntei. Ao que afirmaram que era. "Interessante aqui nesta intimação existe sala 610" Uma funcionária veio na minha direção e pegou os papéis da minha mão, olhou e disse: "Vai na sala aqui do lado e chama a Fulana, isso é com ela". Qual a minha surpresa ao chegar na sala ao lado? Uma multidão de pessoal, uma máquina fornecedora de senha e algumas pessoas atendendo. Confesso que fiquei meio sem graça mas coloquei o meu lado português para funcionar e, aproveitando o vozeirão que Papai do Céu me deu, falei bem alto "Por favor! Onde encontro a Sra. Fulana?" Deu certo alguém foi chamar a Fulana, que confirmou ser com ela mesmo e disse: O senhor tem que pagar! "Eu vim aqui para isso, disseram que tenho que pegar uma guia de depósito Judicial aqui no Cartório e efetuar o pagamento." Respondi. "Haaa, mas aqui não preenchemos guias de Depósitos Judiciais, é no Banco do Brasil! 

Vai alí no quarto andar e pede o preenchimento" Fui Bancário 32 anos e no BB e desconhecia que o banco fizesse tal serviço, mas vá lá, estou aposentado há 10 anos, muita coisa mudou, vou até lá. Meu raciocínio estava certo. O BB só recebe. Mas o diligente funcionário me explicou que eu poderia acessar o site do BB e procurar sobre depósitos Judiciais que ali eu iria encontrar todas as informações para o preenchimento do tal depósito. Dito e Feito, preenchi o Depósito e paguei na Agência mais perto do meu trabalho. Mas em momento algum, alguém me informou se eu deveria apresentar uma cópia do pagamento a Vara Deprecante ou na Vara Deprecada. Vou pesquisar, pensei. Chegando em casa a minha queria (querida mesmo!) esposa já se empenhara em achar o escondido "Carnê do IPTU" Que, para confirmar as nossas teorias do que "Nada dá certo neste País", estava quitado em cota única. Agora é a minha vez de azucrinar a Prefeitura de B#%%@ de S@* Jo@* e fui até lá para esclarecer. Apresentei o comprovante pago o qual foi devidamente Xerocado e de imediato estariam providenciando a Baixa do processo e a retirada do meu nome da Dívida Pública do Município. Algum documento poderiam me dar comprovando que estive ali para comprovar o pagamento do Depósito Judicial e a apresentação da guia original devidamente quitada. Negativo e o que é pior, esperei duas horas o "Sistema voltar ao AR". Por fim fiz uma pergunta: Agora que comprovei o pagamento, como faço para receber de volta o Depósito Judicial que efetuei apenas para impedir que o diligente Oficial de Justiça adentrasse em minha casa para penhorar algo que cobrisse aquela fortuna de R$ 220,00, pois caso não o fizesse seria este o procedimento a ser adotado em 5 dias úteis. Foram muitas as gargalhadas ao ouvir a resposta que eu teria que aguardar a Justiça notificar a Prefeitura que o depósito já havia sido feit e que estava á disposição da Secretaria de Fazenda do município, algo em torno de trinta a sessenta dias e , só então, entrar com um processo Administrativo para pedir a devolução do pagamento indevido. Coisa de um ano para resolver e, ainda, correria o risco de receber em precatórios....

Bem, resumindo foi uma semana de %&#¨@ aqui na Terra do Nunca dá certo. O maior inimigo do Brasil é o seu próprio povo, representado em todas as esferas sociais, políticas, profissionais e educacionais. Falta de comprometimento, falta de civismo, falta de responsabilidade, falta de respeito etc. etc. etc. e tal. Precisamos apanhar muito para entendermos o valor de certas ações, somos por demais complacentes, sinto que a cada dia andamos um pouquinho para trás. Confesso que estou cansado mas, ainda, não desisti do meu Brasil.

Por Roberto Escóssia 

quinta-feira, 28 de maio de 2015

NOTA DE REPÚDIO AO 

GOVERNADOR ROBINSON FARIA


A Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (ADUERN) vem a público repudiar a atitude do governador, Sr. Robinson Faria, em relação a todos os que fazem a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e contribuem para o desenvolvimento do Estado, por meio da qualificação profissional e prestação de serviços.

A UERN tem sede em todas as regiões do Estado, respondendo pela formação de aproximadamente 15 mil estudantes de graduação e pós-graduação em mais de 50 especialidades. É a Instituição de Ensino Superior (IES) do RN que mais forma professores para a educação básica, além de contribuir para a formação inicial e continuada dos professores da rede pública de ensino por meio de diversos programas, ressaltando seu papel fundamental na melhoria da qualidade da educação no Rio Grande do Norte.

 A instituição também exerce importante protagonismo na inclusão social, uma vez que destina 50% de suas vagas para estudantes da rede pública e oferece diversos serviços, entre os quais assistência jurídica e atendimentos médicos e odontológicos gratuitos. Além disso, por meio da atividade de seus 77 grupos de pesquisa, gera conhecimentos voltados à compreensão e ao desenvolvimento da nossa região. 

Mesmo com todo este repertório de serviços prestados à sociedade potiguar, a UERN tem sido negligenciada pelos que chegam à Governadoria, e encarada como DESPESA ao invés de INVESTIMENTO.

Assim sendo, desde o dia 25 de maio de 2015 os professores da UERN optaram por paralisar suas atividades em razão do descumprimento de acordo previamente firmado entre o governo do Estado e os docentes, técnicos e estudantes, que garantia o cumprimento do plano de cargos e salários e a destinação de recursos para recuperação e ampliação da estrutura física da Universidade.

O descumprimento do acordo firmado pelo chefe do Executivo e a forma com que a categoria tem sido tratada pelo governador revelam o descaso com a única IES mantida pelo Estado e o não reconhecimento do papel da UERN no desenvolvimento do Rio Grande do Norte.

Lembramos que o próprio governador outrora destacou a UERN como um patrimônio público e cultural da sociedade norte-rio-grandense. Em virtude disso e do significado concreto que a Universidade tem para o Estado, exigimos respeito e comprometimento para com nossa instituição.

Associação dos Docentes da Universidade do Estado
 do Rio Grande do Norte – ADUERN

UERN DESTACA IMPORTÂNCIA DA 

INSTITUIÇÃO, DO DIÁLOGO

 E AUTONOMIA


No momento em que a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) vivencia as greves dos professores e técnicos administrativos, a comunidade acadêmica e a sociedade potiguar não podem permitir questionamentos sobre o verdadeiro papel da instituição.

A UERN é a única instituição pública de ensino superior que forma médicos, odontólogos, enfermeiros, assistentes sociais, sociólogos, educadores físicos, jornalistas, publicitários, radialistas, economistas, gestores ambientais, biólogos, e licenciados em Pedagogia, Letras, Música, Química e Filosofia, entre outros, no interior do Rio Grande do Norte. Com pós-graduação stricto sensu, em nível de mestrado, em todas as áreas do conhecimento, propicia a formação continuada, contribuindo para o cumprimento do PNE 2014-2024. Dentre os resultados, a UERN assegura a existência de professores capacitados em sala de aula nas redes municipal e estadual de ensino.

Desses egressos, mais de 70% fizeram a educação básica na rede pública de ensino (aproximadamente 40% dos pais desses egressos não possuem ensino médio). Destinamos 5% das vagas a pessoas com deficiência, o que significa a inclusão no conhecimento.

A UERN, cumprindo seu papel de instituição formadora de pessoas capacitadas para o mercado de trabalho, desenvolve diversas atividades que articulam as esferas ensino, pesquisa e extensão. Em Natal, quando, em março de 2015, aconteceram momentos de insegurança, com as rebeliões nos presídios, nas quais os detentos exigiam também o julgamento de seus processos, a UERN, por meio do seu Núcleo de Prática Jurídica, atuou em defesa das pessoas economicamente hipossuficientes, cumprindo, portanto, um importante papel social. É importante destacar, ainda, que o Complexo Cultural, situado na Zona Norte da Capital, oportuniza atividades a mais de mil alunos em diversas ações extensionistas.

Frequentemente, estamos prestando consultorias, auxiliando o Estado e Municípios em áreas da nossa competência; temos pesquisadores e extensionistas cujas ações e práticas estão mudando a realidade do nosso RN. O CAPACITASUAS, em parceria com a SETHAS e o MDS, atuando nos 167 municípios; a formação de tecnólogo em Gestão Pública e pós-graduação em Direito Administrativo e Urgência e Emergência dos servidores estaduais, junto com a Escola de Governo/SEARH; a viabilização da construção do Hospital Materno-Infantil, maior obra do RN SUSTENTÁVEL da Secretaria de Saúde Pública (SESAP); e o FESTUERN com a Secretaria da Educação e da Cultura (SEEC), constituem amostragem de que a UERN, além de formar recursos humanos, contribui para o desenvolvimento do Estado.

A UERN é patrimônio dos norte-riograndenses e, por igual, alicerce da formação da justiça e da equidade social. A Reitoria insistirá no caminho do diálogo e do entendimento, preservando a autonomia da Instituição.

Pedro Fernandes Ribeiro Neto
Reitor


SERVIDORES DA UFERSA

 ENTRAM EM GREVE


Servidores federais de diferentes setores reivindicam reajuste salarial de 27,3% e estabelecimento de data base para reajuste da remuneração da categoria para o mês de março. Hoje, 28, docentes da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) devem paralisar atividades em todos os campi da instituição no Estado.
 
Além da Ufersa, profissionais de, em média, um terço das Instituições Federais de Ensino Superior do país anunciaram paralisação este ano em prol não só do reajuste, como também em retaliação a medidas do Governo Federal como o corte de mais de R$ 9 bilhões na educação.
 
"Nossa mobilização é também em retaliação aos cortes absurdos anunciados pelo Governo na educação e contra a falta de resposta ao pedido de reunião com o Ministério do Planejamento que protocolamos em fevereiro deste ano. É absurdo que a categoria tenha sido ignorada desta forma", disse o representante da Associação dos Docentes da Ufersa, José Torres.
 
Além dos 450 professores, os técnicos-administrativos da Ufersa também participam da mobilização nacional. A categoria deve iniciar greve a partir de hoje. Os técnicos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) também suspenderão atividades.

ATO CONJUNTO

O comando de greve da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), formado por professores, técnico-administrativos e estudantes, participará de um ato unificado, hoje, a partir das 7h, juntamente com os docentes e técnicos da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa).
 
Os docentes da Uern, em greve desde a última segunda-feira (25), participam da atividade em solidariedade à luta dos docentes e técnicos da instituição federal, e em defesa das condições de trabalho para todos da educação.
 
A professora Roberta Gonçalves, da Associação dos Docentes da Ufersa (Adufersa), participou da reunião do comando de greve dos professores da Uern, dialogando com os docentes e apresentando as pautas de sua categoria. Ela reforçou o convite para a atividade conjunta entre os trabalhadores das duas instituições.
 

Indicadores e Índices Econômicos - 28/05/2015

Fonte: Empresário Online
INFLAÇÃO - FONTES DIVERSAS - REFERÊNCIA ATUALIZADA
MAIO/2015

ÍNDICES
set/14 out/14 nov/14 dez/14 jan/15
INPC / IBGE (%)
IPCA / IBGE (%)
IPCA Esp / IBGE (%)
ICV / DIEESE (%)
IPC / FIPE (%)
ClasMéd/Ordem (%)
IGP-DI / FGV (%)
IPA -DI / FGV (%)
IPC-DI / FGV (%)
INCC-DI / FGV (%)
IGP-M / FGV (%)
IPA-M / FGV (%)
IPC-M / FGV (%)
INCC-M / FGV (%)
CUB-Sinduscon (%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
0,49
0,57
0,39
0,23
0,21
0,23
-0,02
-0,18
0,49
0,15
0,20
0,13
0,42
0,16
0,01
0,38
0,42
0,48
0,50
0,37
0,40
0,59
0,73
0,43
0,17
0,28
0,23
0,46
0,20
0,12
0,53
0,51
0,38
0,52
0,69
0,77
1,14
1,44
0,65
0,44
0,98
1,26
0,53
0,30
0,02
0,62
0,78
0,79
0,52
0,30
0,45
0,38
0,30
0,75
0,08
0,62
0,63
0,76
0,25
0,03
1,48
1,24
0,89
2,25
1,62
1,31
0,67
0,23
1,73
0,92
0,76
0,56
1,35
0,70
0,33


fev/15 mar/15 abr/15 mai/15 12meses
INPC / IBGE (%)
IPCA / IBGE (%)
IPCA Esp / IBGE (%)
ICV / DIEESE (%)
IPC / FIPE (%)
ClasMéd/Ordem (%)
IGP-DI / FGV (%)
IPA -DI / FGV (%)
IPC-DI / FGV (%)
INCC-DI / FGV (%)
IGP-M / FGV (%)
IPA-M / FGV (%)
IPC-M / FGV (%)
INCC-M / FGV (%)
CUB-Sinduscon (%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
1,16
1,22
1,33
1,40
1,22
1,19
0,53
0,41
0,97
0,31
0,27
-0,09 1,14
0,50
0,10
1,51
1,32
1,24
1,26
0,70
0,69
1,21
1,24
1,41
0,62
0,98
0,92
1,42
0,36
0,06
0,71
0,71
1,07
0,55
1,10
0,82
0,92
1,11
0,61
0,46
1,17
1,41
0,75
0,65
0,34


0,60










0,45

8,34
8,17
8,24
8,36
7,21
7,15
3,94
1,85
8,41
6,89
3,55
1,36
8,31
5,97
6,69

Fonte: Folha Online, Valor Econômico, Ordem dos Economistas


 POUPANÇA/DIA – MAIO

Período
Poupança (1)
Poupança (2)
07/05 a 07/06
08/05 a 08/06
09/05 a 09/06
10/05 a 10/06
11/05 a 11/06
12/05 a 12/06
13/05 a 13/06
14/05 a 14/06
15/05 a 15/06
16/05 a 16/06
17/05 a 17/06
18/05 a 18/06
19/05 a 19/06
20/05 a 20/06
21/05 a 21/06
22/05 a 22/06
0,6782%
0,6345%
0,6233%
0,6596%
0,6836%
0,6779%
0,7149%
0,6481%
0,6307%
0,6237%
0,6600%
0,6887%
0,6929%
0,6836%
0,6525%
0,6361%
0,6782%
0,6345%
0,6233%
0,6596%
0,6836%
0,6779%
0,7149%
0,6481%
0,6307%
0,6237%
0,6600%
0,6887%
0,6929%
0,6836%
0,6525%
0,6361%
(1) Depósitos até 03/05/12
(2) Depósitos a partir de 04/05/12 - MP nº 567, de 03/05/12
Rendimento da Caderneta de Poupança no último dia do período.
Fonte: Valor Econômico
 
 
 REAJUSTE DE ALUGUEL E OUTROS CONTRATOS:

ÍNDICES ACUMULADO % ATÉ MARÇO/ 15
Trimestr Quadrim Semestr Anual
FIPE
IGP-DI
IGP-M
INPC
3,58
2,43
2,03
4,21
3,88
2,83
2,66
4,85
4,99
4,62
3,96
5,81
6,61
3,46
3,16
8,42

ACUMULADO % ATÉ ABRIL/ 15
Trimestr Quadrim Semestr Anual
FIPE
IGP-DI
IGP-M
INPC
3,05
2,69
2,43
3,42
4,72
3,37
3,22
4,95
5,75
4,95
4,87
6,16
7,21
3,94
3,55
8,34
Fonte: Folha Online
a) Acumulado até março reajusta aluguéis e contratos a partir de abril, para pagamento em maio.
b) Acumulado até abril reajusta a partir de maio, para pagamento em junho.



 CÂMBIO E OURO

I-Dólar:
Comercial
DIA Compra Venda
22/05
25/05
26/05

R$ 3,094
R$ 3,096
R$ 3,148

R$ 3,095
R$ 3,098
R$ 3,150

Fonte: UOL
II-Euro:

DIA Compra Venda
22/05
25/05
26/05

R$ 3,410
R$ 3,398
R$ 3,423

R$ 3,412
R$ 3,401
R$ 3,427

Fonte: UOL
III-Ouro:

DIA Compra
22/05
25/05
26/05

R$ 118,87
R$ 120,10
R$ 119,01

Fonte: BOVESPA