quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

CÚPULA DE SEGURANÇA ANUNCIA 

MEDIDAS PARA CONTER 

VIOLÊNCIA NO RN


A cúpula de segurança do Governo do Estado se reuniu e anunciou nesta quarta-feira (7) que pretende mostrar imediatos resultados contra os índices de insegurança que assolam o Estado. Entre as medidas está a convocação de todos os policiais que integram a força de segurança potiguar; a aquisição de 50 viaturas que começam a operar a partir do dia 15; a criação de uma delegacia especializada em homicídios e a reestruturação do Instituto Técnico de Polícia, o Itep. Presente à reunião, o governador Robinson Faria realçou que o empenho da equipe é termômetro para medir o sucesso que pretendem alcançar.

“É certo que governos anteriores também prometeram melhorias na segurança, mas é nesse governo que a Secretaria de Segurança Pública está sendo entregue a técnicos, sem ingerência política, para que seja feito o que é necessário fazer”, afirmou Robinson, cuja principal bandeira de campanha foram promessas para a melhoria da segurança pública. Em que pese o anúncio das medidas, não foi assegurado se haverá recursos para arcar com as despesas necessárias.

Apontado como um dos principais problemas a ser combatido, déficit de homens será contornado inicialmente com a convocação de todos os policiais militares. Segundo os números disponibilizados para a imprensa, os quadros da Polícia Militar são compostos por até 13.466 pessoas, mas apenas 8.848 postos estão preenchidos. Desses, quase 30% estão fora das ruas em face de cessões, licenças, afastamentos ou trabalho administrativo, o que significa dizer que, efetivamente, há cerca de 6.100 homens no patrulhamento do Rio Grande do Norte.

“Esses policiais serão chamados para fazer o trabalho na rua. Também sei que há desmotivação entre eles, mas peço um voto de confiança. Muitos desses homens fazem ‘bicos’ por fora. Convocamos para que façam esse ‘bico’ dentro da corporação. Para que vão para as ruas”, conclamou a secretária de Segurança, Kalina Leite, segundo quem o governo se compromete a honrar as despesas com diárias operacionais e horas extras para que seja possível manter os policiais nas ruas o tanto quanto seja necessário.

A falta de mão de obra humana também é uma questão a ser vencida na Polícia Civil, onde há déficit de 3.545 homens. Não foram anunciadas, no entanto, medidas como concurso público para cobrir a carência. Por outro lado, o delegado geral da Polícia Civil Stênio Pimentel, afirmou que uma das prioridades do governo para a área e a criação de uma delegacia especializada em homicídios.

Diretor do Itep, Odair de Souza apresentou como meta prioritária a reestruturação do Itep. Ele precisou R$ 3,4 milhões em dois convênios com a Secretaria Nacional de Segurança Pública para a compra de equipamentos para aparelhar o instituto. Também citou que, com trânsito em Brasília com as fontes de sua área (ele é perito da Polícia Federal), será mais fácil estreitar os laços de diálogo com o governo federal.

Para as causas da violência, a secretária de Segurança prometeu um programa de combate ao tráfico de drogas e citou especialmente um programa de prevenção ao crack. Ela informou que será uma ação integrada com outras pastas. Além das fontes citadas nessa matéria, participaram da reunião os comandantes da Polícia Militar, coronel Ângelo Mário de Azevedo, e Corpo de Bombeiros, coronel Otto Ricardo Saraiva, e o secretário adjunto de Segurança, delegado da Polícia Federal Caio Bezerra.

Fonte: Portal no Ar 

Nenhum comentário :